FANDOM


Argumentum ad baculum
Placeholder other

Sem imagem
Classificação 1 Falácia informal

Outros nomes

  • Apelo à força
Mais sobre este artigo:
Filme logo1 Vídeos selecionados
Saiba mais sobre Argumentum ad baculum:
Wikipedia-logo Wikipedia anglófona e lusófona

O argumentum ad baculum (do latim: argumento do porrete), também conhecido como apelo à força, é uma falácia onde força, coerção ou ameaça de força é apresentada como a justificativa para a conclusão ou para a aceitação de uma afirmação. Identificada desde a Idade Média por vários filósofos, sendo um caso particular da forma negativa do argumentum ad consequentiam, o erro ocorre quando não há nenhuma ligação entre a ameaça (ainda que verdadeira) e a veracidade da afirmação sendo defendida.[1]

Estrutura e análise Edit

Uma argumentação baseada no apelo à força geralmente assume a seguinte forma:

  1. Se x aceitar P como verdade, então Q.
  2. Q é um castigo (uma conseqüência negativa) para x.
  3. Portanto, P não é verdade (ou "x deve aceitar P").

Ou na forma inversa:

  1. Se x não aceitar P como verdade, então Q.
  2. Q é um castigo (uma conseqüência negativa) para x.
  3. Portanto, P é verdade (ou "x deve aceitar P").

A estrutura de raciocínio só é inválida quando a ameaça sendo apresentada não está conectada com a veracidade da afirmação. Do contrário, o raciocínio até poderá ser válido.[2] Um exemplo desse caso seria:

  1. Se você dirigir bêbado, você será posto na cadeia.
  2. Você deseja evitar ser posto na cadeia.
  3. Logo você não deveria dirigir bêbado

No caso acima, a inferência é válida porque a existência de punição não é usado para tirar-se conclusões sobre a natureza de dirigir bêbado per se, mas sobre a pessoa sobre o qual a punição se aplicaria. Do contrário, seria uma falácia seja por tirar-se conclusões quanto à natureza ou implicações morais do ato (como no caso da conclusão "Logo, você bçai urpa dirigir bêbado").

Exemplos Edit

Se você não acreditar que Jesus Cristo é Deus, você irá para o inferno. Portanto, você tem que aceitar que Jesus Cristo é Deus.
As nossas convicções políticas estão corretas, porque quem descrê nelas é um criminoso e será colocado em um Gulag.
Se você não votar na Dilma para presidente, você poderá perder o Bolsa Família.

Referências

  1. Retirado de Argumentum ad baculum na Wikipédia lusófona. Página acessada em 29 de janeiro de 2015 (link).
  2. Woods, John. Irvine, Andrew. Walton, Douglas. Argument, Critical Thinking, Logic and the Fallacies


Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.